domingo, 14 de outubro de 2012

Um petisco para terminar o nosso domingo


Os dias mais frescos neste começo de outono pedem compotas doces, queijos curados, chás bem quentinhos e a mantinha que vive connosco no sofá e que disputamos entre nós e a gata, para ficarmos bem aconchegadinhos. Olho pela janela e vejo a chuva que veio dar um tom cinzento e triste ao dia que se queria iluminado e limpo para passeios pelas ruas semi desertas dos domingos no centro da cidade. Nestes dias gosto de ir para a cozinha e ao som de música inspiradora inventar sabores e cores, fazer comidas, saborosas e reconfortantes.Hoje assim foi, ao som dos Madredeus e na fonte inspiradora de Rodrigo Leão ouvi "As ilhas dos Açores" pois o dia apresentava-se com a bruma e a humidade tão caracteristicas destas lindas e luxuriantes ilhas verdes.Arregacei as mangas e comecei por enrolar numa tripa de vaca cozida uma fatia de presunto e um bife que pedi no talho fosse cortado pequeno e fino, depois de enrolado, atei com um fio. Eu uso fio de sapateiro com que as minhas avós atavam os enchidos depois da matança do porco por alturas do entrudo. Coloquei um tacho no lume com meia cebola picada e um dente de alho e duas colheres de azeite. Deixei amolecer e juntei os rolinhos, fiz três e reguei com um pouco de vinho branco. Deixei cozer lentamente, de tempero usei apenas uma pitada de sal e salsa picada. Quando estava quase cozinhado acrescentei uma mão cheia de cogumelos e de ervilhas, usei congelados, e achei o resultado maravilhoso. Servi com arroz manteiga. Amanhã repito a ementa ao almoço, no meu trabalho. Vai ser a curiosidade do mulherio!

Tripas aos molhos:
Tripa de vaca cozida cortada em forma de quadrado
1 bife cortado fino e mais pequeno que a tripa
1fatia de presunto ou uma de salpicão
meia cebola picada
1 dente de alho
sal e pimenta a gosto
meio copo de vinho branco


Foto: Mafaldinha


Claro que uma viagem até à cozinha implica mais algum mimo e não poderia deixar de presentear o pequeno príncipe com umas bolachinhas que ele adora.

Palmiers (mini)

Massa folhada fresca (duas embalagens)
Açucar para polvilhar

Polvilha-se a massa folhada com açucar e enrola-se até meio e depois a outra metade em sentido contrário. Corta-se a massa em fatias da grossura de um dedo e coloca-se no tabuleiro do forno forrado com o papel vegetal que vem na embalagem e vai a cozer em forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 10 minutos. São deliciosos e acompanham muito bem os lanches da pequenada.

Bom apetite!




Foto: Mafaldinha





3 comentários:

  1. Eis um excelente petisco que não desdenhava ter provado, comido e abusado! Mesmo que não sobrasse espaço estomacal para a sobremesa que tem igualmente um ar de quem «come e chora por mais»! Mas não se pode ter tudo!!!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LIÇÃO DE COISAS

      A exatidão serena de uma flor
      Aconselha-me em vão
      A encher de paz e sem amor
      O revolto e impreciso coração.

      Ó luz tão verdadeira,
      Que dás o verde tenro e o branco puro,
      Eu dava a vida inteira
      Para ser monte ou muro!

      Mas ao homem não valem
      Desejos minerais:
      Aves, flores, que se calem!
      Hei-de ser como os mais.

      Nem florido no orvalho como a rosa,
      Nem azul como o monte arredondado.
      Ó imaginação, só tu és dolorosa!
      O maior mal ainda é o imaginado.

      Vitorino Nemésio, Nem Toda a Noite a Vida, Lisboa, Ática, 1953

      Eliminar