quarta-feira, 14 de novembro de 2012

As gaivotas não adormeceram ainda
E esta noite as marés não vêm deitar-se na praia
E o sol esconde-se de mim e a lua é apenas por metade
Eu gelo à míngua do teu calor que demora em regressar
Ainda só vejo um fio do horizonte
Vim à tua procura confirmar que também os teus dedos vieram para me procurar
E pergunto-me onde deixaste a tua sombra quando aqui não estás
Se a vires diz-lhe que o tempo não passa quando os amantes regressam
E se nos perdermos nestes promontórios entre um mar de sargaço e de salinas
Será na primeira geografia do caminho onde ficaram as conchas e os búzios
Que começa o dia seguinte


Foto: Mafaldinha





1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar